Mudando de estratégia e recalibrando expectativas

“Você escreveu “Às vezes sinto que esta tarefa está além dos meus limites.” Esse é um sentimento [real] em tarefas de exploração: quanto mais você cava, mais coisas você encontra. Compartilhar esse sentimento com os seus colegas de trabalho ou chefe é importante, porque eles podem te ajudar a priorizar e focar no que é essencial.” — Meu mentor Benoît, sobre as minhas notas de 12 de fevereiro

Tenho sentido esse imenso luto ultimamente. À medida que o tempo passou durante a fase de divulgação inicial, acabei percebendo quão curto é o meu estágio para resolver a maioria, se não todos, os problemas que encontrei que atrapalham o processo de recrutamento e acolhimento de novos tradutores técnicos, e isso me assombra. Estou ciente de que terei a chance de abordá-los no meu relatório final, e que as minhas descobertas serão extremamente úteis a todos os envolvidos com o MediaWiki e a comunidade de tradutores como um todo. Mas o fracasso em me comunicar com universidades propriamente, a confirmação de que estratégias de divulgação precisam ser aplicadas durante longos períodos de tempo para terem uma chance de funcionar combinados com o pouco tempo que tenho inevitavelmente influenciam toda decisão que faço, fazendo com que eu me sinta pressionada e imensamente aflita.

Talvez eu esteja em luto pelo meu estágio. Estamos próximos de seu fim, e é um eufemismo dizer que eu apreciei esta experiência — é um evento catártico na minha vida. Ela marca o começo da minha vida profissional na tecnologia, depois de muitos anos sendo apenas uma usuária; o início do processo de mudança de carreira. Trabalhar em tempo integral já se estabeleceu como parte da minha rotina então é estranho pensar que tudo irá acabar em uma questão de semanas.

Talvez eu também esteja de luto pela perda de quem eu era antes que tudo isso acontecesse. Estou no meio do processo de dizer adeus a uma parte da minha vida, uma parte de mim que foi a minha realidade por anos mas agora pertence a um passado distante. Mas ei, você provavelmente está aqui para saber o que tenho feito, então falemos sobre trabalho.

Na reunião desta semana, Johan sugeriu que eu poderia criar um time de localização com estudantes de Letras ou Tradução. Essa estratégia é interessante pelas seguintes razões:

  • Demanda poucas pessoas para funcionar.
  • Ajudaria-me a confirmar ou descartar a existência de pontos de falha no processo para se tornar um tradutor no MediaWiki.org e/ou de traduzir o conteúdo da wiki citada.
  • Auxiliaria-me a prover orientações para a criação de equipes dedicadas a traduções técnicas.
  • Introduziria estudantes universitário selecionados, procurando se especializar em estudo de línguas ou tradução, ao papel de tradutor técnico no movimento Wikimedia.
  • Colaboraria com o entendimento de fatores decisivos para a escolha de continuar a contribuir ou encerrar todas as contribuições como tradutor técnico.

Então decidi ir em frente. Enquanto dedico parte do meu tempo para achar pelo menos quatro pessoas para compor uma equipe de localização em português, também estou trabalhando para melhorar o Guia rápido de tradução e escrevendo um Guia para iniciantes para ajudar novatos a se familiarizarem com outros conceitos importantes. E, já que vai parecer um tanto incomum ter tantos usuários novos traduzindo um monte de páginas, criei uma página sobre isso sob o Project:PD help como sugerido pelo Benoît.

Espero que essa estratégia traga novos resultados.

Anna e só Written by:

Anna is currently a researcher on collaboration and social management of digital collections at MediaLab/UFG under the Laboratory of Participative Public Policies. They are also an Outreachy alumni (December, 2017 — March, 2018) with the Wikimedia community and a proud translator in multiple open projects, including Mastodon's ecosystem of apps and Tor.